«Nunca te amei...»

Posted by xXxPePexXx | Posted on 00:18

0


Um dia triste no inicio do verão,
o dia em que nem o mais quente dos raios de sol aqueceu o que cá dentro estava frio,
parado,
congelado no tempo.
Como seria possível?
Do dia para a noite a minha vida mudou,
tudo aquilo que pensava conhecer,
tornou se relativo,
deixei de olhar com o coração e sim com a cabeça
que me diz para não me magoar para não me sujeitar a todas aquelas noites em branco
em que a imensidão de toda a escuridão do meu quarto envolveu cada pedaço do meu ser,
como podem meras palavras causar tanta dor?...
Daquela maneira tão simples
sentir me apunhalado de tantas e diversas maneiras,
«Nunca te amei..»,
o golpe mais baixo e cruel que passei por toda a minha tão curta vida
mas tão repleta de dor e sofrimento,
naquele dia desencadeei um processo de mudança,
drástica,
demorou,
deixei cair todas as defesas e com dificuldade mas muita força interior reconstruir me sozinho,
utilizei mil e uma formas para aguentar,
desde o parar de pensar
e simplesmente olhar o vazio...
Até pensei que precisasse de novas companhias
que levou a mais sofrimento,
em mentiras,
em toda uma falsidade doentia,
depois a pior de todas as fases...
a pior...
aquela que deixei de falar,
sem vida,
triste,
assombrado por todos os fantasmas que outrora me prometeram
um amor verdadeiro de fachada
para apenas gozar com toda a pura dedicação que pus em cada pedaço do meu ser
para puder dar algum tipo de felicidade e bem estar,
um amor duradouro...
permanente.
Mas deixei...
Deixei de acreditar...
O amor não existe,
para mim o amor não existe...
Não sei como é sentir me amado,
sentir me protegido nos braços de alguém
como tantas vezes o fiz
quando por minha vez amei
incondicionalmente
sem barreiras nem mascaras...
promessas que me fizeram
deitadas ao vento,
levadas pelo mar,
perdi me no dia em que deixei de acreditar no meu felizes para sempre,
perdi me no dia em que o meu coração parou,
perdi me no dia em que o amor que corria no meu coração passou a ser veneno,
nesse dia,
no dia em que me disseram que o amor para mim,
não existia...
Não quero sentir mais nada por amor,
não quero sofrer mais por amor...

Tão Cansado...

Posted by xXxPePexXx | Posted on 18:29

0



Como se perdido, flutuo pelos meus pensamentos, os meus olhos estão cansados de ver tanta desgraça a minha volta o mundo gira e as pessoas mudam, mudam tanto, algumas para melhor outras simplesmente para esquecer, ontem mais uma vez desiludi me a mim mesmo como pude eu algum dia ter acreditado em alguém que não preza a sua própria dignidade? Alguém que se esconde das bocas do mundo apenas para realmente ser prova viva do mesmo, só me deixa triste o facto de um dia ter pensado ver algo mais, mas sempre foi o meu erro acreditar que as pessoas podem sempre ter uma oportunidade de provarem a sua personalidade de se mostrarem dignas. Estou cansado de tudo isto de me sentir assim, de ver situações que dispensava ver, tudo isto para quê? Porque me deixo enganar? Recuando o tempo, lembro as horas sentado no chão frio encostado a janela a ver a chuva bater no vidro, nessa altura em que os dias pareciam não ter fim... quando ninguém se lembrava da minha existência e que ninguém sabia da dor que carregava nos meus ombros, porquê? Do que valem todos os valores morais num mundo onde parecem não existir regras, onde o certo é tão incerto em toda a sua certeza de o ser, hoje não sinto vontade de sorrir, nem de encarar a luz, hoje mantenho me no escuro, aqui onde encontro o sossego de toda a minha inocência, ao menos neste silencio ensurdecedor as palavras não fazem sentido mas as lágrimas que escorrem pelo meu rosto contam uma historia, essa historia que ainda espera ser descodificada por um alguém que não chega e que já deixei de acreditar, não preciso disto talvez, nem eu mesmo sei porque fui voltar a arriscar em algo para o qual eu deixei de acreditar e pelos vistos estava tão certo como antes, só gostava de algo muito simples... Ser compreendido e voltar a ter um brilho no olhar que ao menos só de pensar me faz sorrir um pouco no meio de toda a minha solidão.

Insonia

Posted by xXxPePexXx | Posted on 21:15

0


«'-CORRE! CORRE! NÃO PARES DE CORRER!' Assim o fiz corri sem parar, sem olhar para trás pelo mato denso coberto de uma fina camada de neve manchada com um tom de vermelho sujo, aparentemente originário de sangue, os meus pés descalços e a minha roupa rasgada, onde estou? O que se passa? Porque continuo a correr? Para onde estou a ir? CHEGA! Não vou correr mais! Que sitio é este? Porque não consigo ouvir nada em volta? Vejo tudo branco a minha volta, o que se passa comigo? Que sitio é este? Estou desesperado! Perdido neste sitio confuso... Sentei me no chão frio e deitei a cabeça sobre os joelhos, e pensei e pensei, em respostas que não encontrei, o que me aconteceu? Porque me perdi? Que voz era aquela que me disse para não parar de correr? O que se passa afinal? Onde estão todos? Porque me sinto... Tão... Vazio. Olhei para o meu peito e vi um buraco enorme do lado esquerdo, um buraco que me perfurara de um lado ao outro, não tenho coração, onde está o meu coração? Será este o fim? »

Pesadelos...
Quem nunca os teve?
Pesadelos onde enfrentamos todos os piores dos nossos medos,
onde nos tornamos inpotentes face ao incosciente da mente,
o importante é lutar
e não deixar de acreditar que todos esses medos ganhem sobre toda a nossa força interior.
Hoje partilho um pesadelo,
o significado?
Apenas eu o sei,
os medos pintados a nu
mas também sei
que nunca paro de correr
e nunca deixarei de acreditar e viver
pois sempre fui sonhador
e sonho com a minha felicidade
constantemente
aquela em que encontro os meus sorrisos perdidos
o sonho é
nada mais nada menos um desejo que o coração faz.

Definir

Posted by xXxPePexXx | Posted on 20:39

0


Tão farto de tudo isto, dos dias cinzentos da tristeza carregada nos rostos... Farto de escrever tantas vezes mais as vezes que me sinto destruído por dentro do que aquelas em que me sinto feliz, com o tempo vim a aprender que a minha felicidade é momentania, ela vem e foge como se fosse folha na brisa fria de inverno, hoje quando desci os degraus a sair de casa senti um frio, um gelo tremendo, mas continuei a andar suportei, foi então que pensei que esse frio permanece cá dentro esquecido e nunca se aqueceu de facto desde aquele dia escuro em que me esqueci das horas, do espaço e simplesmente chorei, chorei sem parar, baixinho... para ninguém escutar, gritei a pulmões cheios um grito mudo de dor, penso que nunca vou esquecer esse dia, e lembro o como o dia mais triste de toda a minha vida, desde então deixei de conhecer os meus passos quando me olhava ao espelho não era eu que lá estava apenas uma sombra de alguém perdido, iludido em todas as promessas de um amor que nunca chegou... De um amor que não cheguei a sentir, tornei me tão frio que me esqueci de mim mesmo, esqueci me onde começa o destino e termina a sorte, tão frio que deixei de sorrir, de acreditar, agora que chega uma data como dia 14 penso para mim mesmo, do que valeu a um ano atrás ter feito aquilo fiz? Ter pensado que daquela vez seria diferente, que de facto alguém me amava da mesma forma que eu, ou talvez o problema seja esse... Talvez eu não saiba o que é o amor comum, pois a minha definição de amor não consigo encontrar, se ao menos conseguisse voltar a sentir, mas não consigo. Acho que se tudo isto aconteceu comigo deve ter algum sentido... Talvez simplesmente não esteja destinado a amar... O meu coração simplesmente deixou de bater, tenho tanto ideia que as pessoas me julgam mil e uma coisas de mim boas ou más, têm ideia que sou feliz, que não choro, que não tenho momentos em que tenho vontade de cair sobre os meus joelhos e chorar sem ninguém ver para não me verem sofrer, hoje senti o frio, o gelo enquanto caminhava sozinho pela multidão e olhava em todos os rostos um sofrer e uma determinada emoção, enquanto eu,
caminhava
lado a lado com a minha solidão.

Frustrações

Posted by xXxPePexXx | Posted on 23:43

1


Sombras, vultos aquele negro tão escuro, o esquecer, a solidão o reviver todos os medos, o reflexo turvo na agua, o tempo perdido todas as horas desperdiçadas a porta da solidão, nem eu conseguia suportar toda a agonia do silencio, de toda a dor que me fizeram sentir, vincaram o meu destino para nunca mais voltar a ser o que outrora fui, rapaz difícil de entender... causa de tanta intriga, sem saber consigo ultrapassar os limites do meu ser, tocar na alma e no coração mesmo sem saber porquê, nem sempre da maneira correcta, aqui dentro guardo um lado negro, uma presença obscura, nem todos a conseguem ver mas ela existe dentro de mim, paralelamente ao meu ser, alimenta se dos meus medos das minhas frustrações dos meus sonhos destruídos, dos pedaços do meu ser, nem sempre aparento caminhar no caminho da luz, apenas eu o sei... Quando a noite caí e a minha expressão muda, quando a solidão entra, sou um demónio, sou todo o mal pendente em todos os momentos em que as vozes se calam e o silencio domina sobre os sons, a minha boca cozida em segredos,e a dor apertada entre todos os meus dedos, dentro do meu peito bate algo... a que chamam Coração algo conotado de tão boas palavras e sentidos, mas para mim não passa do meu pior inimigo, engana me tão facilmente, faz me cair, destruir me a cada erro, não me empurra nos caminhos certos e não entendo o porquê, em toda a minha escuridão apaixonante procuro sempre a luz mesmo em fotografias, no brilho dos meus olhos nunca me deixo afogar no negro dor, no preto desconhecido, este coração não bate necessariamente por amor mas sim por calor, por paixão por compreensão, tantas oportunidades que perdi de outrora puder tentar ser feliz e não as aproveitei, tudo graças ao coração, talvez ele me esteja a guardar para algo grandioso para um tesouro majestoso, talvez me castigue sem motivo apenas pelo gozo de me ver cair em desgraça, talvez tenha que ser eu o sacrificado daqueles que amam em vão, o condenado a solidão eterna de todos os pensamentos obscuros que me enchem que me preenchem de medo, que me impedem de sorrir de me sentir mais do que sou e daquilo que não posso ser, arrasto me por esta vida, ajudando os outros a sorrir quando eu próprio estou perdido, hipócrita esquecido, esquecido no meu mundo de medos e armadilhas temerosas onde me perco e volto a perder vezes sem fim, curiosamente desta vez a minha 'maldição' não resultou... Será o principio de muitos 14 de Fevereiro acompanhados da sombra e perdidos por desejos de beijos de ternuras de um rapaz carente de um amor que não vem e que não desperta o meu coração do sono macabro de toda a esta dor, chego a conclusão que o meu coração não me ilumina e dá calor apenas me desperta lágrimas e emoções que não queria sentir, gostava de pintar um quadro de cor que representasse toda a imensidão do meu ser onde em vez de um Eu, pintasse um ternurento Nós.

Mentira

Posted by xXxPePexXx | Posted on 17:11

4


Gostava de acreditar... gostava de ser capaz de me ver feliz... Mas tudo o que vejo é negro, estou perdido dentro de um mar de pensamentos só meus... Perdi me novamente em todo o enriquecimento semântico da palavra solidão, não me consigo recordar porque deixei de sonhar, porque deixei de saber o que significa amar, é triste... é horrível sentir esta dor que dói tanto e não se vê se todos soubessem a vontade que tenho de gritar de me derreter em magoas de me sentir o único quando sei que não sou, nem mesmo quando me olham com algum interesse eu ignoro simplesmente deixei de acreditar na minha própria felicidade, deixei de entender o porquê... Porque dizem que sou especial? Porque me chamam de anjo? Por favor... Se isso tudo é verdade porque me sinto assim tantas vezes em vez de me sentir feliz? São mais as lágrimas que todos os sorrisos, tantos são os medos como tão pouca é a esperança. Hoje sonhei que caminhava descalço por um bosque sombrio os meus pés que tocavam a terra feridos de caminhar sobre espinhos continuavam rumo a uma direcção indeferida, e as lágrimas escorriam pelo meu rosto o frio percorria o meu corpo fraco mas dentro da minha mente tenho ideia de que tudo pode mudar, posso vir a ser feliz quem sabe talvez o sonho me quisesse dizer algo, mas... porquê? Preciso de certezas não de fantasias... Preciso tanto de respostas, de ganhar esperança. No meu sonho corri para um vulto desconhecido não sei o que era ou quem poderia ser vi um vulto um sorriso distorcido entre a neblina serrada talvez fosses tu, talvez um alguém esse alguém por quem espero e não encontro mas porquê? Porque tenho que esperar mais? Já não sofri o suficiente? Por favor eu só quero ser feliz, quero amar, ser amado. será pedir muito que me queira sentir feliz após tantos anos a espera? Mas por algum motivo aqui continuo... Neste momento a chuva está a cair e o silencio reina por toda a casa, por todo o meu ser só o ecoar das teclas do piano na minha cabeça, tristes...escuras... sombrias... Esta solidão que me embala ao som das lágrimas que caiem sobre a mesa enquanto respiro lentamente toda a tristeza que sinto a minha volta e expiro nada se não fumo do fogo que queima dentro de mim e que me mata lentamente, quero que me mintam e me digam agora que sou feliz, que não me deveria sentir assim... Sufocado... Digo sem medo neste meu eco mudo, tudo isto... PORQUÊ???

Constantly ignoring, the pain consuming me, but this time it's cut too deep, I'll never love again..

Refúgio

Posted by xXxPePexXx | Posted on 21:01

0



Meu Deus... porquê? Porquê passar por este sentimento vezes sem conta, não consigo entender... Ou talvez simplesmente não queira entender, sinto me sozinho, abandonado e pensei que não estava sozinho, no coração... mas pelos vistos foi tudo em vão... Não entendo que mal fiz eu para merecer isto e porquê passado tanto tempo volto a sentir algo que pensava ser impossível sentir novamente, mesmo assim em vão, eu esperei e esperei por um amor que não vinha pelo calor que não sentia... Sinto me destruído vazio o meu coração que sentia encher se de vida novamente, lentamente entrou em retrocesso, não entendo porque me fizeram sentir assim, porque se esqueceram de mim... Porque me apaixono por quem não me consegue dar o devido valor então cá fico num mar de desilusões... golpe atrás de golpe deixei de sentir dor e simplesmente me vejo tentado em cair em erros passados para me tentar sentir amado, especial para alguém... pensei que era especial mas não, até aqueles que me apoiam eu consigo magoar sem saber, e já não sei o que fazer... sigo em frente mas não vejo o fim sinto me perdido sinto me desesperado por respostas para perguntas que não encontro... alguém me salve... alguém me ajude, não quero morrer sem saber a que sabe o facto de ser amado por alguém que eu consiga amar... o meu coração é traiçoeiro, manhoso... nem nele consigo confiar pois não entendo porque me faz sofrer desta maneira porque me faz cair em erro porque não me quer ver feliz... ou talvez o meu coração já não exista, as horas pararam o meu coração congelou no tempo, os meus olhos fecharam se e o silencio invadiu a minha realidade, mais uma batalha, aquela que travo vezes sem conta e quando penso que saio vitorioso, volta para me atormentar preciso de ajuda, preciso de alguém... ou talvez não precise de ninguém. Estou a sufocar lentamente asfixiado pelo silencio ensurdecedor que me rodeia e ainda não parou, perdi me entre memorias e desejos e lembranças de beijos... pequenos gestos de afecto pedaços de mim que perdi em vão, pedaços de amor transformados em cinzas esquecidos ao relento da frieza das palavras e de todos os corações gelados que cruzaram o meu caminho, sou alguém devido ao meu anjo que me puxa para cima e ao mesmo tempo sou um ninguém um hipócrita talvez ,que em vez de lutar pela minha felicidade aconselho as pessoas em volta de forma a alcançarem a felicidade e no final volto a casa e a cama está vazia, as roupas no chão... o caos... a minha confusão o meu refúgio... na solidão...