Dedo na Ferida

Posted by xXxPePexXx | Posted on 02:43

0


Porque tudo isto é uma ferida aberta...


Cada vez que estiver com alguém vai lembrar se do que fez, lembrar se a de mim, dos momentos de paixão dos momentos em que o corpo e alma se uniam e as palavras davam lugar ao silencio, ao prazer a loucura a uma erupção de sentimentos natural... Das vezes em que um olhar dava inicio a uma reacção espontania um sorisso, pensa que ter alguém vai ajudar a esquecer me, é mais simples esquecer a ideia pois isso só me faz ficar irritado triste e as pessoas constantemente a buzinarem me coisas sobre outras coisas que se passam estou farto será que não mereço ter paz? Farto de pessoas que me dizem coisas que não quero realmente saber... Se acontecem.. Parabéns só mostra falta de carácter e mais me faz sentir mal por me ter enganado tanto embora saiba que nem tudo é a traição sim porque os momentos bons foram fantásticos únicos preciosos o mesmo nunca ouvi, porquê a mudança? Uma vez conheci alguém que me olhou nos olhos e fascinou. Um olhar perdido tudo isto porque? Falta de amor, falta de afecto? Ensinei pequenas coisas não sabendo o que era amar vagiando divagando mas aprendendo fui perdoando e perdoando mas as magoas foram sulcando o interior. Até que se deu o ponto de erupção o final que não foi final foi uma avaliação pois ambos lutavam pelo mesmo objectivo sem objectivo mas tentando e eu enrolado numa mentira captado no meio de uma mentira tão feia. A mentira é algo que me magoa tanto nunca o fiz mentir inocentemente é algo tão vulgar agora mentir ocultando uma verdade tao feia e mesmo assim argumentando defeitos meus com que consentimento? Tiveste me nas tuas mãos deixaste me escapar porque? Talvez não fosse eu o que realmente querias. podias te lo dito facilitava a dor que senti preferia sentir ao acontecer e saber pela pessoa que inocentemente ou não não sabendo foi usado pela desculpa de falta de afecto, falta de atenção. Existem pessoas que simplesmente não sabem o que é sofrer na vida e fazem troça do mesmo com atitudes do género. Admito não tive nem sinto carência nenhuma e visto ser uma relação mutua o carinho era dividido, partilhado. Compreendo agora porque me sentia tão mal na tua presença depois de ter acontecido eu notava diferença, se existe pessoa que te veio a conhecer era eu e não sabendo mentir deixaste te ir e foste sofrendo por isso a cada rejeição de toque a cada palavra não tão boa a mim nunca conseguiras mentir pois se alguma vez te faltei ao respeito merecedor de tal acção não o sou e sabes que sim pois para mim numa relação os segredos não existem e quando existem a relação deixa de ter sinceridade e não é desculpa o já ter acabado ou não mesmo tendo feito o que fizeste entreguei me a ti da mesma forma que sempre o fazia e o toque... o toque não era o mesmo o beijo tinha sabor a veneno de mentira. Uma ferida aberta difícil de fechar ou até impossível que gostava de saber como a ultrapassas com tanta facilidade...


A solidão é escura,
Negra e sombria,
Uma verdade bem dura,
Uma verdade bem fria.

A solidão também mata,
Fere, pisa e destrói,
Uma ferida que maltrata,
Uma ferida que dói.

É um pensamento que assusta,
É um medo que vive,
Uma doença que barafusta,
Uma doença que tive...

Tive, tenho e terei...
Pois nunca cura haverá,
Dela me escondo e esconderei,
Mas sempre (ela) me encontrará.

Quero continuar a viver,
A minha vida não é tão má,
Mas ela faz-me morrer,
É uma pedra que em mim há.

A solidão é essa pedra,
E bem dura, por sinal,
Eu bem a tento destruir,
Mas fica sempre igual.

É semelhante a um fracasso,
Essa solidão relutante,
Tudo o que fiz e agora faço,
É no fim, fracassante...

Tanta tristeza me afunda,
No meu pranto de lágrimas mortas,
Deixa em mim essa mágua profunda,
De ter fechado todas as portas...