Amantes Distantes

Posted by xXxPePexXx | Posted on 00:03

2


Não é de todo fácil falar aquilo que o coração tenta gritar cá para fora, amordaçado pelo medo, tudo aquilo que diz é abafado por um silencio de tormentas que nos priva de chegar mais longe...
Mas será possível controlar aquilo que sentimos?
Será que por vezes não dizemos o contrario daquilo que sentimos para nos protegermos?
somos seres falíveis,
tantas vezes só pensamos em nós mesmos e esquecemos nos das consequências,
e no final quando tudo está perdido é que algo grita de longe como uma voz
que nos chega da alma,
e nos lembra que provavelmente perdemos algo que era fácil de ter,
era possível ter mais...
Gostava de explicar o que sinto,
mas por vezes tenho um medo tão grande de transparecer a teus olhos o meu lado mais frágil,
esse lado que se esconde por de trás de uma muralha de ferro
e que impede que certas palavras se deixem fluir,
essa muralha construída de medos,
que tanto tentas desbravar sem esforço,
mas eu não sei o que pensar,
o querer e não querer que corroí esse medo de como tantas vezes esbarrar numa desilusão,
exagerar em tudo aquilo que inconscientemente exijo da pessoa que quero a meu lado,
já nem sei se é tudo um jogo em que não existem vencedores,
puxo todos os limites possíveis e imaginários para verificar se existe uma quebra...
Errado ou não acabo por me envolver praticamente inconsciente
de estar consciente do risco que corro,
pois sei que no fundo quero acreditar nas palavras,
nos gestos,
ter certeza que tudo não passa de um simples momento,
que será um para sempre...
Pois não consigo começar algo sabendo que tem um fim anunciado...
não quero e tenho medo disso,
gosto de sorrir a teu lado,
não sei mais o que posso ser,
por vezes forte e coragem de leão e por vezes fraco... dores de coração
não sei que mais te posso dar,
gritos de dor ou tantos gritos de prazer
tantas noites sem dormir a sonhar algo que espero...
promessas que espero ouvir e vê las realizadas a meus olhos,
o culminar de uma felicidade que tanto quero...
tanto para mim como para ti,
quando beijas a minha pele morena e me fazes sentir especial,
que me fazes acreditar e ceder aos teus encantos
nesses momentos não aguento ser forte,
não posso deixar de ser frágil e te deixar domar o meu ser num beijo profundo,
não posso fugir, não quero fugir...
Tenho medo de não ser perfeito,
mas acho que não o posso ser,
a porta fechou se e levaste na noite o meu chão...
agora neste quarto vazio não sei que outras sombras virão...
eu tenho tempo e tu o chão,
tens as palavras entre a luz e a escuridão...
tu tens a noite e eu a dor,
amantes distantes.
Eu tenho medo e tu a paz,
eu tenho a loucura e tu a calma,
tens o desejo que bate em nós um coração,
dois amantes distantes mas nunca sós...
onde estiveres eu estou... onde tu fores eu vou,
se tu quiseres assim meu corpo o teu mundo e num beijo um segundo és parte de mim...
para onde olhares eu corro, se me faltares eu morro...
agarra me esta noite...
sente o tempo que eu perdi,
agarra me esta noite que amanhã não estou aqui...
a noite não tem braços que te impeçam de partir,
nas sombras do meu quarto existem mil sonhos por cumprir...
não sei quanto tempo fomos, nem sei se te trago em mim...
sei do vento onde te invento, desta minha maneira...
não sei se és luz ou o que resta em nós,
sei sim das ruas que corremos sós,
porque tu deixas em mim...
tanto de ti,
matam me os dias e as mãos vazias de ti,
a estrada ainda é longa,
quando a espera não tem fim, existem distancias sem perdão...
deixas muito de ti em mim sem o saberes...
...como dois amantes distantes.