Análise interior

Posted by António Pedro Castro | Posted on 01:35

1

Por vezes necessitamos analisar bem o ponto de situação em que nos encontramos para conseguirmos entender o que podemos melhorar, onde podemos crescer, o que fazer a seguir. 
O meu forte nunca foi gerir as minhas emoções,
 e isso data provavelmente desde pequeno.
 Em criança nunca senti que tivesse descontraído,
 que pudesse respirar e aproveitar a inocência que envolve ser criança...
 Culpa do ambiente familiar que vivi durante esse período e acho que trago um pouco disso comigo... 
Cresci um pouco aos trambolhões, 
tive dificuldades desde muito cedo em concentrar me e isso prejudicava me na escola,
 mas tenho conseguido por mim mudar isso.
 Acho que tudo se consegue com esforço e dedicação,
 e quando dizem que por vezes somos os nossos piores inimigos, é bem verdade...
 Estou num ponto determinante da minha vida,
 vou terminar o meu curso no próximo ano,
 escolher o meu estágio académico e seguir para o mundo do trabalho,
 tenho uma grande ansiedade por puder encontrar a minha independência e estabilidade,
 por mim e para poder partilhar isso com a pessoa que amo!
 O mundo funciona de forma estranha e à uns meses atrás voltei a cruzar me com uma das pessoas que mais me marcou,
 não falo de uma paixoneta de escola ou um amor de verão.
 Acho que em toda a minha existência e desde que comecei a pensar em ter uma vida a dois nunca encontrei alguém que me pudesse fazer acreditar que isso seria possível.
 Sempre me fascinou o facto de alguém ser único, especial, que soubesse cativar..
 E posso dizer honestamente que me sinto mais do que honrado por essa pessoa me ter escolhido para caminhar a seu lado, 
alguém que a tantos níveis teve um percurso, diga-se, brilhante! 
Tenho aprendido muito e crescido também. 
Sinto me um homem, e não mais um adolescente perdido,e essa pessoa foi fundamental nessa viragem! 
Acho que nos dias de hoje as relações funcionam muito na base do passatempo,
 e a palavra amor é desvalorizada e usada em vão.
 Não é este o caso, para além de uma história que vem de à anos atrás, existe uma química muito especial, o problema está na minha forma de expressar o que estou a pensar, especialmente se for algo que me deixe mais nervoso ou que entendo de forma errada,
 por vezes causa situações desnecessárias, parece que o meu cérebro começa a disparar em todos os sentidos e no final o que digo só me prejudica...
 Acho que das piores coisas que se pode sentir quando se ama alguém é que estamos inconscientemente a desmotivar essa pessoa por coisas que podiam ser evitadas com um pouco de analise e juízo.
 Somos ambos muito diferentes,
 mesmo nos nossos gostos, mas acho que isso também é um dos motivos que nos aproximou bastante, sem contar o sermos curiosos, o que ajuda a que seja possível falarmos um pouco de tudo sem  existir um total desinteresse sobre qualquer assunto que seja! 
Será que aquilo que tenho para dar é suficiente para manter as coisas em bom funcionamento?
Será que o ponto tão diferente da minha vida pode ser determinante para que as coisas fiquem estagnadas?
 Não me quero sentir impotente,
 pessoalmente considero me um rapaz simples, sonhador, apaixonado pela vida, pelo mundo, não sou de desistir quando gosto de alguém e não o vou fazer... 
Espero conseguir encontrar um balanço a dois para que tudo vá no rumo certo!
 Estou a torcer pelo nosso felizes para sempre.