Estranho no mundo

Posted by xXxPePexXx | Posted on 04:28

0

Sou um estranho no mundo... Soltando um grito mudo te pergunto! Meu Deus, porquê? Porque me sinto desta maneira... Como um estranho no mundo, preciso de forças para acreditar pois não encontro motivos possíveis para compreender o porquê de me sentir neste limbo de emoções em que me sinto constantemente perdido no meu mundo, já ouvi de tudo na vida, pessoas que me usaram e abusaram, pessoas que simplesmente passaram a ser sombra e lembrança distante de momentos felizes que não passaram de ilusões, não entendo porque me sinto um estranho neste mundo, porque acredito em amores especiais, porque quero sempre mais e melhor, não entendo porque preciso tanto de sentir amor dentro de mim, ou talvez saiba.. Nunca o senti em toda a minha a vida e quando o senti foi por breves instantes disfarçado por distracções em criança para não ver tudo o que se passava a minha volta... Mas eu sei, sempre soube, sempre chorei no meu quarto para não entenderem a dor que sentia cá dentro por não ter uma vida semelhante à das outras crianças, não sei mais no que acreditar, não quero ser um estranho neste mundo, porque não consigo ser 'normal'? Banalizar o amor como todos fazem, achar que bom é suficiente, que o amor é um negocio de prazeres da carne e nada mais, que o romantismo é dispensável em doses elevadas, é tudo o que vejo, relações relâmpago, não mais se liga a paixão, aos encontros desmedidos em que dois se envolvem num misto inexplicável de emoções que te baralham a mente e te deixam dormente sem saber o que pensar, em que um beijo é mais do que o tocar de dois lábios sedentos de desejo, é uma marca, um selo que vai muito para alem do prazer carnal, é o selar de um sentimento que não tem nome, transcendente ao amor, é um sentimento que só duas pessoas naquele mesmo momento o sentem, e quando o sentem estará selado um compromisso eterno que os irá unir para sempre... Bonito não é? São estas pequenas coisas que acredito e que me fazem sentir um estranho num mundo que não é o meu com certeza, pois se estas lágrimas que tantas vezes me escorrem pelo rosto não significam nada... Para quê acreditar? Morrerei talvez com desejo de conhecer todas estas coisas que acredito e que me fazem sentir desta maneira, talvez seja louco, doente da alma pois são essas mesmas coisas que me fazem sentir tão sozinho neste mundo, afinal de contas no final... todos partem e eu aqui fico neste quarto vazio, devorado pelo silencio, rodeado de recordações daquilo que podia ter sido e nunca foi! Sou um estranho num mundo que nunca quis para mim, serei cego até ao dia em que conseguirei ver que talvez não fosse uma doença da alma mas sim a esperança de algo melhor. Por favor chega depressa...

Devaneio Sozinho

Posted by xXxPePexXx | Posted on 01:54

0

Não gosto de estar sozinho...
 estou cansado de caminhar esta longa e árdua estrada que não parece ter fim.
É que não me lembro de algum ter dia ter escolhido este triste e solitário caminho em que os medos dominam as razões que me impedem ser feliz.
 Quem és tu que me procuras algures e que nunca me encontraste,
Talvez já te tenha sentido no vislumbre de um olhar...
Talvez já me tenhas encontrado...


Pergunto te..
 Porque não ficas? Porque não me prendes? Cativas? Porque não te manifestas?
Como resposta... O silencio, o nada...

 E às vozes que me dizem, 'és perfeito'...
Pergunto:
'Serei?'
 Pois se a perfeição não passa disto, 
de um nada!
 De uma incerteza do futuro...
 Quero antes ser imperfeito que sou, 
pois imperfeito me sinto.

E a esperança que trago comigo e que me mantém conectado a um desejo de felicidade futuro
 por vezes é tão ténue... tão fraca!

 Uns dias sorrisos... outros tantos pingados de lágrimas neste meu leito negro de magoas,

Tantas vezes o meu coração questiona:
'Onde está o amor? Onde está o nervoso miudinho de menino apaixonado que tanto anseio?'
 Não sei responder,
 apenas sei esperar... procurando um sorriso no meio da multidão,
 um olhar que me diga que sim,
 chegou a hora!
Agarra o momento,
 vive uma paixão que ficará para sempre gravada na memoria dos sentidos...

Devaneios...
 Tenho esta doença de menino poeta que ainda acredita que o amor deve ser algo magico,
 que a paixão é essencial,
 e será este mal que me atraiçoa?
 Se sim como livrar me de algo em que acredito?
 Não quero aprender tal coisa...
 e se isso significar apenas ter amores passageiros,
 que assim seja,
 na hora da minha morte irei esboçar um sorriso quando me lembrar dos amores e desamores que vivi,
 e nesse momento vou descobrir que o amor está em toda a parte,
 nas memorias,
 nas palavras, 
em cada gesto puro de gratidão,
 até lá... aqui me esqueço.
 E se acredito... talvez seja mais um novelista solitário num clube de eternos escravos do desejo de um amor ideal,
 resta me a arte que me ajuda a exprimir tudo aquilo que me vai na alma,
 pois sei que estas palavras jamais me atraiçoam, e assim..
aqui as deixo,
como testemunhos solitários passados dos devaneios de um rapaz que sozinho sonha por algo melhor.

Reticencias do Passado

Posted by xXxPePexXx | Posted on 23:41

0




Será possível desligar o passado do presente?
Acredito que de certa forma é impossível,
Somos feitos de experiências e memorias passadas,
Aquilo que somos hoje é fruto daquilo que fizemos no passado,
o futuro é incerto e o passado está sempre presente em tudo,
Nas lembranças dos sorrisos,
dos bons e dos maus momentos,
Nas lágrimas que derramei pelos quatro cantos deste quarto quando o meu coração de dor sufocava lentamente,
O passado é agridoce,
Tanto me trás boas como más recordações,
Por vezes as vozes que me dizem para não dar tanta importância ao passado esquecem se que também elas o fazem...
O passado é u
ma espécie de ciclo vicioso em que mentimos a nós mesmos quando dizemos que não temos medo quando nos vemos perante uma situação semelhantemente  traumática que nos tenha ocorrido no passado,
A nossa mente é um arquivo infinito,
Cabe nos a nós saber organiza-lo,
Ou será que devo dizer... enganarmos a nós mesmos?
Aquilo que não nos mata faz nos mais fortes,
Mas relembrar essas mesmas coisas por vezes trás de volta uma certa dor,
Por mais que tente dizer que não,
Nas horas vazias dos tempos mortos de solidão certas memorias me ocorrem,
Penso imediatamente em contorna-las,
Tento desligar esse pensamento como um interruptor...
Mas as coisas não funcionam assim,
Acho que não sou normal,
Não sei se é bom ser assim...
Sou forte mas sensível ao mesmo tempo,
um romântico à antiga a espera do amor verdadeiro mas que sofre e sofre mais um pouco tropeçando nos caminhos incertos que envolvem a palavra amor,
Já sofri traições,
Humilhações,
Abusos psicológicos,
pessoas que simplesmente me abandonaram sem nunca dar algum tipo de explicação,
Já calei a minha voz para não magoar,
Já ouvi aquilo que não merecia ouvir com medo de perder quem amava,
Tudo isso em vão?
Talvez não,
Sei que mesmo sabendo que possam ter sido erros com as pessoas erradas,
Essas mesmas pessoas para mim em certa altura eram certas
E o amor que senti por cada uma delas foi diferente mas igual no que diz respeito ao valor,
Esta minha doença de poeta que procura algo que nem sabe bem o que é,
Mas que quando se aventura e se apaixona vive tudo tão intensamente,
Cada minuto,
Cada momento é único,
E para mim seria assim todos os dias,
Algo digno de um romance literário,
Mas hoje em dia as pessoas já não pensam assim,
Vivem tão enterradas nos seus problemas,
No trabalho,
Na escola…
 Simplesmente querem alguém para os satisfazer nos momentos vazios de necessidade,
o que é feito do romantismo?
Posso estar sozinho mas nunca só,
as reticencias do passado são uma marca constante nas mentes inconstantes daqueles que esperam por um futuro melhor,
Basta acreditar,
O passado não define quem sou,
Mas vive comigo,
Faz parte de mim!

"Take me as I am..."