Um pouco mais

Posted by António Pedro Castro | Posted on 22:01


Por vezes passamos a vida focados em coisas triviais, 
preocupações alheias, oportunidades perdidas, coisas passageiras. 
Nos últimos meses, dias talvez anos, existe uma dormência constante no meu subconsciente.
Cresci tão rápido por ter que ser mais para aqueles que precisavam de mim que por tantas e tantas vezes me esqueci de mim. 
Não quero fugir dos meus bloqueios mentais e não resolver aquilo que me atormenta, 
pois também eu vivo com preocupações, 
todos as temos, mas é no saber enfrentar as situações que conseguimos seguir em frente.
Hoje saí para a rua, de cabeça erguida, e apreciei as pequenas coisas no caminho, 
o vento a tocar me na cara, o sol da manhã a aquecer me e envolver-me o corpo, 
tinha saudades de me sentir assim. 
Desafiado por dentro, com vontades de menino curioso que quer abraçar o mundo e que o mundo me abrace a mim, de braços abertos. 
Vamos direccionar este texto noutra direcção,  porque toda a luz tem a sua sombra,
vamos falar do elefante na sala, 
no problema dentro das quatro paredes desta quarto, 
no aperto, do sufoco, da pressão que é conviver com... ansiedade,
 sim ela mesmo, ela que tantas vezes me consome por dentro, 
me deixa descontrolado, com vontade de desaparecer no meio da fumaça, 
ela que me leva os sonhos, as vontades,
 ela que tento fechar dentro deste mesmo quatro quando saio de casa, 
ela que deixo mas que me persegue, 
que me consegue tocar quando ouço aquilo que não quero ou não entendo, 
ela que me faz pensar que não consigo fazer de outra forma, 
ela que me faz tantas vezes chorar dentro da solidão do meu próprio mundo.
 É difícil lidar e encarar o mundo quando sentes que as preocupações te esmagam, 
e ao invés de teres uma voz que te diz que está tudo bem,
 tens uma voz que te puxa o tapete e te faz cair. 
Sei que vim ao mundo com um propósito e se tudo o que tenho passado tem um motivo, 
eu consigo viver com isso dentro do meu pensamento, 
sem angustia, sem rancor, mas ao mesmo tempo cometendo o erro de me esquecer de mim.
 E onde ficam os meus sonhos se sempre tento auxiliar o próximo? 
Parece egoísta, lá está, por mais que o escreva nunca conseguiria fazê-lo, 
não faz parte de mim, 
dos maiores gozos que tenho na vida é fazer quem eu gosto feliz,
 seja por um gesto, seja por palavras. 
Faz-me sentir grande, quente por dentro, 
os meus sonhos vão se realizando a seu tempo, 
sem pressas, com desejo de encontrar alguém que queira caminhar a meu lado, 
que queira partilhar um pouco da sua felicidade comigo e criar um mundo onde tudo é mais feliz por ambos ambicionarmos um pouco mais, 
um pouco mais do mundo, 
um pouco mais um do outro, 
um pouco mais de amor. 

*E se o meu sorriso é tão feliz assim nessa tua presença cósmica, 
guarda-me para sempre na memoria dos sentidos.*

Comments (0)